Quinta-feira, 11 de Novembro de 2004

Força e flexibilidade



Tal como o vento só consegue derrubar uma árvore velha, com raízes fracas, assim os obstáculos só conseguem derrubar os espíritos enfraquecidos!





j0219109.gif


No entanto, a árvore é flexível e dobra-se às forças da natureza quando estas são poderosas. Também os nossos espíritos devem ser suficientemente flexíveis como forma de melhor se adaptarem às circunstâncias da vida. Uma linha de conduta na vida nunca deve ter uma grande rigidez. O importante é sabermos traçar os principais caminhos axiológicos pelos quais nos queremos orientar, não vale a pena tentar enveredar por uma via tão austera, com tantas tarefas árduas que nos incentiva à desistência. Mais vale caminharmos na segurança de uma estrada larga do que na via estreita dos ascetas, quando ainda não nos sentimos capazes. O fundamental é estabelecermos largos traços orientadores, posteriormente, quando começar a ser fácil, intuitivo até, caminhar por ali, então podemos e devemos estreitar um pouquinho mais essa estrada e por aí fora, sempre até onde decidirmos que conseguimos ir. Assim, o desalento não nos atingirá tão facilmente e a alegria dos obstáculos vencidos levar-nos-á a querer ir mais longe sempre, cada vez mais. Quando alguém entra numa modalidade desportiva como, por exemplo, a ginástica artística,  pode ter, interiormente, o objectivo de, no futuro, atingir recordes mundiais, contudo, o seu primeiro objectivo é tornar-se o melhor da sua equipa, depois, ganhar as competições regionais e só depois as nacionais e por aí fora até chegar às competições mundiais. Neste caso, a competição é feita connosco. Não pretendemos ser melhor que ninguém, tão só cada dia ser melhor do que no anterior. Devemos estabelecer pequenas metas na vida de forma a atingir um grande objectivo final. Podemos começar por algo tão aparentemente evidente como "nunca matarei propositadamente nenhum ser". Parece extremamente fácil? E quando estamos quase a adormecer e ouvimos o som de uma melga... a tentação de a matar aparece, não é? Pois em vez de a matarmos, podemos simplesmente usar um repelente de insectos ou tentar pô-la lá fora ou... Há sempre uma alternativa, se procurarmos bem. Há até quem se deixe picar por ela, pedindo-lhe que a seguir ela se vá embora. Mas dá trabalho. É muito mais rápido atirar-lhe com uma almofada. Pois, mas experimente por-se no lugar dela.

publicado por Isabel às 00:27
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De siwa a 11 de Novembro de 2004 às 20:19
Querida / Cara Isabel

Obrigada pelas suas palavras de grande frontalidade mas também de apoio. Sei que achou o meu blog estranho. Compreendo-a. Talvez tenha razão. Talvez ande perdida. Mas não andaremos todos (espero) pelo menos uma vez na sua vida à procura do seu sentido? É talvez isso o que acontece comigo. Vivi muitas coisas até aqui. Chegou a altura de questionar como quero viver a partir de hoje. E o estarmos perdidos pode significar apenas que estamos perto de encontrar a tal estrada... Gostei do seu blog. Contrariamente ao meu, não me parece estranho mas sim iluminado... como se da Isabel brotasse uma qualquer espécie de luz. Agradeça! Felicidades. Terei todo o prazer em manter o contacto consigo.
Maria

Comentar post

.sobre mim

.pesquisar

 

.links

.pensamentos recentes

. Natal - tempo de PAZ

. procure a riqueza em si

. a vida

. amor-cisne

. como distinguir o amor ve...

. meu amor

. dor amor

.tags

. todas as tags

.Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds