Segunda-feira, 29 de Novembro de 2004

desapego

O DESAPEGO
Poema de Fernando Pessoa:

"Não só quem nos odeia ou nos inveja
Nos limita e oprime; quem nos ama
Não menos nos limita.
Que os deuses me concedam que, despido
De afectos, tenha a fria liberdade
Dos píncaros sem nada.
Quem quer pouco, tem tudo; quem quer nada
É livre; quem não tem e não deseja,
Homem, é igual aos deuses."

 
publicado por Isabel às 18:56
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Sofia a 30 de Novembro de 2004 às 20:00
Isso. Lindo! 'Bigada pela partilha! bjs
De troblogdita a 29 de Novembro de 2004 às 21:00
Não conhecia o poema. É lindíssimo e muito profundo no que sugere. Fez-me lembrar o livro de Arno Gruen... aquele de que me esqueço sempre do título :-D Nesse livro ele fala sobre como procuramos, nas nossas relações afectivas, que o outro se encaixe naquilo que esperamos dele, limitando e manipulando a relação. Isto acontece, segundo o psiquiatra, por não estarmos seguros da nossa autonomia.

Comentar post

.sobre mim

.pesquisar

 

.links

.pensamentos recentes

. Natal - tempo de PAZ

. procure a riqueza em si

. a vida

. amor-cisne

. como distinguir o amor ve...

. meu amor

. dor amor

.tags

. todas as tags

.Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds