Quinta-feira, 18 de Agosto de 2005

saudade

so.JPG

O amor que vamos construindo pelos outros está sempre carregado de um apego muito grande do qual não nos damos conta. Por isso, a ausência se torna tão difícil de suportar. Se a saudade aparece durante a curta ausência de uma viagem, quando a morte acontece, cai-nos em cima, de repente, a certeza da inevitabilidade e a ausência torna-se quase insuportável. De repente damo-nos conta do que poderíamos ter feito. Do muito que poderíamos ainda dizer 

Felizmente tenho consciência do amor que transmiti e aí reside a força para esperar com alguma serenidade o tempo em que novamente o reencontrarei.

O dia 18 deveria ser retirado do meu calendário

publicado por Isabel às 22:39
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De Anónimo a 18 de Abril de 2006 às 23:29
Que puedo decir.......solo que eres hermosa.
De Friedrich a 27 de Agosto de 2005 às 21:26
A ausência, será porventura, muito mais dolorosa que a saudade... A saudade nós nos podemos aproximarmos dela, da ausência, nem sempre será assim. Eu prefiro a saudade à ausência. Mas gostei do texto, apesar de deixar transparecer o teu sofrimento... Espero que ele seja superado com toda a tranquilidade que te indicará outros novos rumos. Vai ao meu blog lê o último post que pode ser que ajude!

Beijos
De Ana a 22 de Agosto de 2005 às 21:30
Olá Isabel. Encontrei o teu blog através do Diário da Sofia. O teu objectivo é enternecedor e kem me dera que toda a gente pensasse assim:)
Percebi que estás a passar um momento difícil, e a única coisa que te posso dizer é: força, e nunca te deixes ir abaixo. Usa a tua sabedoria, e não resistas á dor.
Um abraço.
De Sofia a 22 de Agosto de 2005 às 19:14
Linda, não te vou dar novidade nenhuma, mas essa ausência é apenas uma ilusão alimentada pelo nosso apego. Estarás sempre acompanhada, sempre que precises, sempre que caias, sempre que triunfes, sempre que murmures pelo seu nome ou apenas a memória te visite... A perda é uma ilusão, assim como o é a separação. E mesmo que não acreditasse na alma, na unidade, naquilo que está mais além do que vimos e sentimos nesta vida, ainda assim acreditaria que não ficamos sozinhas, pois aqueles que se ausentam permanecem sempre no nosso coração. Para ti foi 18 de Agosto, para mim foi 17 de Julho... Nunca estaremos sozinhas, tu sabes... Um abraço bem forte e bem luminoso ;)

Comentar post

.sobre mim

.pesquisar

 

.links

.pensamentos recentes

. Natal - tempo de PAZ

. procure a riqueza em si

. a vida

. amor-cisne

. como distinguir o amor ve...

. meu amor

. dor amor

.tags

. todas as tags

.Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds